BOCÃO

 

From: beto.coelho
To: cohen@plug_in.com.br
Subject: Melô da Buceta
Date: Mon, 4 Jun 2001 12:28:41 -0300

Estou te mandando uma poesia que recebí, dentro daquele assunto das
poesias bagaceiras. Vê se tu podes aproveitar p/ alguma coisa.

Beto Coelho.


Melô da Buceta

A racha nas entreperna
não há mulher que não tenha
quem quiser ouvir que venha
que eu vou descrever cada qual
as molhada e as sequinha
as cabaço e as sozinha
e aquelas que cheiram mal.

Vou falar primeiramente
com esta cara deslavada
da tal xoxota molhada
que chega a cheirar orvalho
tá sempre lubrificada
piscando desesperada
pedindo por um caralho.

A seca bem ao contrário
é coisa de mulher fria
querendo ficar prá titia
se renegando prá o macho
precisa de muito arreto
dedaço e chupão nos teto
prá vê se aceita o piçaço.

Não posso esquecer daquelas
que nunca foram exploradas
bucetas jamais tocadas
por um tarado qualquer
apertadas qual cú de macho
fechadas por um cabaço
esperando prá ser mulher.

Por outro lado há aquelas
geralmente de coroa
que ficam excitadas a toa
por lhe faltar companhia
de um nego véio piçudo
que entre rasgando tudo
e lhe faça gritar de alegria.

Mas as piores são as fedidas
que cheiram a bacalhau
mais agre do que um fel
e nos penteio seborréia
que só de pau encapado
dá prá coxiar descansado
sem pegá uma gonorréia.

Mas enfim todas são boas
cada qual com seu encanto
e uma coisa eu garanto
neste melô da buceta
não adianta companheiro
chegar perto e sentir o cheiro
prá depois bater punheta.